Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vale De Anta

Vale De Anta

Nadir Afonso.

Nadir Afonso nasceu em Chaves em 1920.
Diplomou-se em Arquitectura na Escola Superior de Belas-Artes do Porto.
Em 1946, estuda pintura na École des Beaux-Arts em Paris, e obtém por intermédio de Portinari uma bolsa de estudo do governo francês e até 1948 e em 1951 colaborador do arquitecto Le Corbusier e serviu-se algum tempo do atelier Fernand Léger.
De 1952 a 1954, trabalha no Brasil com o arquitecto Oscar Niemeyer.
Nesse ano, regressa a Paris, retoma contacto com os artistas orientados na procura da arte cinética, desenvolvendo os estudos sobre pintura que denomina "Espacillimité".
Na vanguarda da arte mundial expõe em 1958 no Salon des Réalités Nouvelles "espacillimités" animado de movimento.
Em 1965, Nadir Afonso abandona definitivamente a arquitectura; consciente da sua inadaptação social, refugia-se pouco a pouco num grande isolamento e acentua o rumo da sua vida exclusivamente dedicado à criação da sua obra.  in
http://www.nadirafonso.com

E agora perguntam vocês:

- Mas que raio tem o mestre Nadir a ver com Valdanta ???

Pois é meus senhores o "nosso" Nadir pintou uma obra que se chama "Entardecer em Valdanta". Foi com algum orgulho que descobri esta obra e que com a ajuda da amiga Laura Afonso aqui vos mostro. A nossa humilde aldeia serviu de inspriração ao mestre Nadir Afonso.

 Entardecer em Valdanta

 

Podem visitar o Blog do Nadir e contemplar esta e outras obras do Nadir em: http://espacillimite.blogs.sapo.pt/

Santa Bárbara.

No último fim-de-semana passei junto à capela de Santa Bárbara e não resisti a tirar umas fotos a esta zona tão bonita da nossa aldeia. As árvores que rodeiam esta local estão muito bonitas pintadas com as maravilhosas cores de Outono. Lá do cimo a nossa Santa parece estar de vigia constante a toda a aldeia. Ela é muitas vezes por nós esquecida e como geralmente se diz em Valdanta : só nos lembramos da Santa Bárbara quando troveja. Antigamente quando havia uma tempestade as gentes de Valdanta acendiam uma velinha à Santa Bárbara para que esta as protegesse dos raios. Ainda me lembro de a minha avó Aurinda o fazer. De seguida fica um pequeno texto sobre a vida da nossa Santa como que em forma de homenagem.
Era filha do Sátrapa Dióscoro e terá nascido na Nicomedia junto ao mar de Mármora . O seu pai fechou-a numa torre com duas janelas para evitar que ela se convertesse ao Cristianismo. Um padre enviado por Orígenes , disfarçado de médico, tê-la-á convertido e baptizado. Bárbara, para manifestar a sua fé na Santíssima Trindade, abriu uma terceira janela na torre onde estava encerrada. Descoberta a sua adesão ao Cristianismo, foi perseguida, presa e depois constrangida a abjurar a sua religião para casar com um pagão. Recusou-se e foi entregue ao juiz Marciano que a fez passar terríveis suplícios. Finalmente, o seu pai tê-la-á executado, decapitando-a. O castigo de Deus foi imediato: o pai cruel foi fulminado por um raio. Além da palma e coroa do martírio, tem S.ta Bárbara muitos atributos: a torre onde o pai a encarcerou, uma pena de pavão (símbolo da imortalidade), um cibório com uma hóstia por cima (alusão ao facto de ser evocada contra a morte súbita), um canhão ou uma bala (referência ao facto de ser padroeira dos artilheiros)... S.ta Bárbara é evocada contra a trovoada, particularmente contra os raios e por extensão, contra os azares das armas de fogo. É padroeira dos fogueteiros e fabricantes de fogo-de-artíficio , dos mineiros que lidam com explosivos e, devido à torre onde estava prisioneira, dos encarcerados e também dos pedreiros arquitectos e ainda dos sineiros, dos tecelões, chapeleiros, etc., foi excluída do calendário litúrgico oficial pelo papa Paulo VI em 1969.  in http :/ www1.ci.uc.pt /

Mais sobre mim

imagem de perfil

Pesquisar