Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vale De Anta

Vale De Anta

Zé Tabarneiro e o lobo.

O senhor Zé Tabarneiro era meu avô. Ele era agricultor como a maioria das pessoas de Valdanta . Tinha uma junta de bois. Naquele tempo media-se a riqueza das famílias pelo número de juntas de bois que essa família tivesse. A família mais rica era a do tio Zé Bernardo. Tinha criados e tudo um claro sinal de riqueza para a altura. Produzia grandes quantidades de cereais e outros produtos agrícolas. Mas o meu avô era pobre e para ganhar um dinheirito extra para dar de comer a onze filhos, andava pelas aldeias a ensacar e a vender batatas. Chegava a ir para o Couto, Ardãos e outras aldeias ainda mais distantes. Claro está que naquele tempo não havia transportes e ele deslocava-se a pé. Segundo ele me contou, uns anos antes de falecer, num dia escuro de Inverno ao anoitecer, quando regressava a casa por um dos caminhos que o levavam até Valdanta , apercebeu-se que um lobo o seguia à distância. Claro que o meu avô se arrepiou mas lá foi mantendo a calma. O lobo continuou a acompanha-lo por mais uns metros mas cada vez se aproximava mais. Foi então que o meu avô tomou a decisão de trepar uma árvore. Passou a noite nessa árvore pois o lobo ficou lá de baixo a olhar para ele. No outro dia de manha quando viu que o lobo tinha desistido seguiu a sua viagem.

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Pesquisar